Gestão e Pessoas

Por que o mercado contábil deveria agradecer a Contabilizei?

Introdução

 

Sou empreendedor contábil, e assim como você, fiquei bem incomodado quando vi a Contabilizei pela primeira vez; para falar a verdade, fiquei incomodado durante alguns meses, pelo menos até entender o bem que ela fez à minha empresa.

 

Pois é, esse é um post para comentar como a Contabilizei, mesmo que indiretamente, contribuiu positivamente com o mercado contábil no Brasil, mercado este no qual estou inserido empreendendo na Syhus Contabilidade.

 

O objetivo não é convencer ninguém sobre tal fato, não existe aqui uma verdade, mas sim a minha opinião a respeito da Contabilizei, a qual gostaria de compartilhá-la com você.

 

Vamos nessa?

Pioneiro, vamos concordar!

 

O primeiro ponto que gostaria de mencionar ou reconhecer é o fato da Contabilizei ter sido pioneira em inovar no mercado de contabilidade, que até então, nunca tinha visto nada parecido, não é mesmo?

 

Algumas iniciativas de inovação ou novas abordagens estavam surgindo e como exemplo temos a própria Syhus se posicionando de forma digital e utilizando o Inbound Marketing para a captação de clientes, algo até então pouco visto no mercado de contabilidade. Neste ponto posso mencionar também a Sevilha Contabilidade atuando com robotização e automação de processos; ambos voltados para “dentro de casa”

 

Mas de fato quem veio ao mercado e deixou sua marca pública de inovação (se assim posso dizer) foi um empreendedor, não contador, de Curitiba, chamado Vitor Torres, que com outro sócio iniciou sua jornada empreendedora no mercado contábil.

 

Foi assim que a jornada da Contabilizei começou; um surgimento e tanto, praticamente um “soco no estômago” para todos nós contadores. 🙂

 

Se você não fizer, alguém fará por você!

 

A Contabilizei olhou para o mercado de contabilidade e identificou que havia (e ainda há) burocracia para todo lado, baixo valor agregado aos serviços de contabilidade e um custo alto para produzir e entregar serviços para uma ME e EPP. Convenhamos, muitos de nós também identificamos, mas saber não é executar!

 

Mapeado o cenário no mercado contábil brasileiro, ficou simples para a Contabilizei vislumbrar a oportunidade, que resumo da seguinte forma: uma experiência de atendimento para o cliente, com transparência nos processos contábeis, entrega de serviços de contabilidade com baixo valor agregado, por um preço que cabe no bolso do empreendedor, tudo por meio de tecnologia.

 

Foi exatamente nesse momento que a “corda apertou” para todos os empreendedores contábeis, pois como poderíamos competir com os preços da Contabilizei entregando os mesmos serviços, que podemos chamar de serviços para conformidade legal (impostos, guias, declarações, etc), sem sofrer “pressão” por parte dos clientes? Só existia uma resposta; era necessário se reinventar!

 

E foi assim que começou o processo de transformação no mercado contábil.

 

Como? Essa foi a primeira pergunta de todos nós contadores. Uma pergunta simples e complexa ao mesmo tempo, que agitou o mercado da contabilidade.

 

A solução? Ir para o mercado e buscar as opções possíveis (tecnologia!).

 

As Tecnologias estão aí, use-as!

 

Durante alguns anos, (me refiro ao período de 2014 até 2016) a Contabilizei navegou praticamente sozinha com estratégias muito boas para ganhar mercado; muitos contadores “brigaram” contra essa “onda da vez”, enquanto outros começaram a se reinventar e na Syhus, por exemplo, iniciamos nosso projeto de reposicionamento no mercado.

 

No mesmo período, as empresas de software iniciaram projetos para atuar de forma mais estratégica com os contadores (o que entendo ter sido um ótimo posicionamento), pois identificaram o quanto a tecnologia poderia otimizar o dia a dia do profissional do mercado de contabilidade, bem como proporcionar processos mais eficientes.

 

Destaca-se neste cenário que a Contabilizei estava entregando os serviços de conformidade legal a preços baixíssimos, ou seja, o caminho mais simples era focar em serviços com alto valor agregado, estar mais próximo ao cliente e ser mais consultivo (o que em essência nossa profissão deveria ser, não é mesmo?).

 

Inúmeras iniciativas foram desenvolvidas, mas para mim, a empresa que mais se sobressaiu foi a plataforma ContaAzul, pois apresentou um melhor planejamento e execução, o que trouxe uma construção em conjunto com a classe contábil.

 

Se você ainda não conhece a empresa ContaAzul, uma plataforma fácil e online para a gestão e controle financeiro da pequena e média empresa, está perdendo tempo; veja o programa de parceiros que eles criaram para contadores CLICANDO AQUI.

 

E não para por aí, outros empreendedores, inclusive contadores, trouxeram seus produtos ao mercado, a Fernanda Rocha, além de criar o movimento Contabilidade Sem Chatice (#CSC), lançou a plataforma do NuCont, para tornar nossos números mais compreensíveis a empreendedores; a Cristiane Andrade, trouxe o GClick com o intuito de tornar os processos e gestão dos escritórios mais eficientes e o Sevilha, veio ao mercado com o WebContabil, compartilhando as soluções de automação e robotização.

 

Pois é, todo esse movimento viabilizou que nós, empreendedores contábeis, criássemos a nossa própria Contabilizei, não existindo mais espaço para choro ou reclamações. É preciso “pôr a mão na massa” e garantir que toda tecnologia disponível seja utilizada pela nossa empresa contábil, permitindo que nós, contadores, estejamos mais próximos de nossos clientes e sejamos mais produtivos e estratégicos.

 

O caminho não é fácil, é claro! Contudo, iniciar a transformação é necessário, portanto, esteja no grupo de empresas contábeis que adotam novas tecnologias e crie a sua jornada de crescimento; por sinal não precisa ser sozinho, vamos ao último e para mim o mais importante tópico.

 

Juntos nós vamos mais longe!

 

A Contabilizei, direta ou indiretamente, uniu a classe contábil. Algumas iniciativas eu particularmente não aprovo, entre elas a de tentar inibir a atuação da empresa; outras, por outro lado, foram muito benéficas, como por exemplo, a de empresas e parceiros que se uniram com o objetivo de profissionalizar, apoiar e desenvolver os contadores para estarem prontos para esse processo de transformação, que está apenas no começo.

 

Dentro dessas iniciativas, uma das que tenho o prazer de desenvolver e participar (além da Syhus, é claro!) é do evento Dia D ContaAzul (que falarei mais adiante), que dentre outras ações, foi quem me deu o empurrão para criar esse projeto do Contador Digital, a fim de levar conteúdo para meus amigos e parceiros do meu dia-a-dia.

 

Sempre olhei para um mercado muito fechado, com pouca troca de informação, pouca conversa sobre o que se passava dentro dos escritórios e um discurso em que todos discorriam sobre um mundo muito belo; o que sabemos que nem sempre é assim, não é mesmo? E o mais próximo de união que víamos era para fazer declarações públicas sobre o por que os empreendedores não deveriam contratar a Contabilizei, ou seja, o olhar estava para fora e não para dentro da própria empresa.

 

E aí, nesse cenário, a ContaAzul teve a iniciativa em 2017 de levar informação ao mercado contábil por meio de um evento itinerante chamado Dia D ContaAzul. Como parte da sua estratégia de expansão, o evento traz contadores para compartilhar conhecimento e experiências com outros contadores, sobre os principais tópicos dos quais todo empreendedor contábil deve se atentar, ou pelo menos acompanhar, que são:

 

  • Clientes Organizados
  • Contabilidade Produtiva
  • Clientes satisfeitos
  • Crescimento da empresa contábil

 

Olha, isso está sendo fantástico! Conheço empreendedores tão fora da curva, alguns se tornaram grandes amigos, com os quais compartilho informações para buscarmos juntos o crescimento de nossos negócios, entre eles, destaco Luiz Corrêa (Contabilidade Luiz Corrêa), Nelson Boing (Gestão Contabilidade), Pablo (R2 Assessoria) e Ângelo (Gerencial Consultoria). Um café com qualquer um desses caras vale mais do que qualquer especialização, pois estão fazendo as coisas acontecerem na prática.

 

E no fim, quem ganha com toda essa transformação é o mercado contábil, não tenho dúvidas quanto à isso; um mercado mais aberto, com mais comunicação, com troca de informações e compartilhamento de estratégias, o que por si só acaba sendo um apoio aos empreendedores e consequentemente uma forma de se construir um país melhor.

 

E, você? Como está nessa jornada empreendedora? Não perca tempo, o que difere um grande empreendedor dos demais é a sua capacidade de execução, portanto, comece agora sua jornada de transformação.

 

Deixe seus comentários, quero ouvir sua história e sua opinião sobre o tema!

 

Tags:
Compartilhar:

One comment

  1. Excelente artigo, um blog fácil de entender, parabéns e continue com o bom trabalho!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *